14 de jan de 2013

CALAMANDREI / No Juiz, a Inteligência não Conta



por  Pedro Luso de Carvalho
     

PIERO CALAMANDREI nasceu na cidade de Florença, Itália, em 1889 e faleceu em 1956. Foi professor nas Universidades de Florença, Messina, Modena e Siena. Foi um dos poucos professores que não integrou o Partido Nacional Fascista. Em 25 de julho de 1945 foi eleito Reitor da Universidade Florentina.

Calamandrei foi um expoente da moderna escola de direito processual civil, além de renomado advogado. Fundou com Chiovenda e Carnelutti a Revista de Direito Processual ("Rivista di diritto processuale"). Em 1945 fundou a revista político-literária Il Ponte. Eleito para a Assembléia Constituinte fez parte da comissão encarregada de redigir o projeto da Constituição Italiana (foi deputado de 1948 a 1953).

Segue o texto A Inteligência do Juiz, de Calamandrei (In CALAMANDREI, Piero. Eles, os juízes, vistos por nós, os advogados. Tradução dos Santos. Lisboa: Livraria Clássica Editora, 4ª ed., 1971, p. 58):



NO JUIZ, A INTELIGÊNCIA NÃO CONTA
      (Piero Calamandrei)
  

No juiz, a inteligência não conta. Basta que seja normal e que ele possa chegar a empreender, encarnação do homem médio, quod omnes intelligunt. O que principalmente conta é a superioridade moral que deve ser tamanha a ponto de poder perdoar ao advogado ser mais inteligente do que ele.



*  *  *